Categorias
Cidadania Cultura

Paraisópolis realiza 12ª Mostra Cultural neste sábado (16)

 No próximo sábado (16), a segunda maior favela de São Paulo irá promover  atividades de cultura e educação na décima segunda edição da Mostra Cultural de Paraisópolis. Criada há 11 anos, a Mostra é considerada o maior evento cultural realizado em uma comunidade na cidade de São Paulo.

Com o tema "Desperto, Descubro, Realizo", este ano, a mostra acontece no 'Dia de Paraisópolis'.  A  celebração está incluída no calendário Oficial de Datas da cidade de São Paulo.  

O Festival inicia às 09h com a apresentação do coral de Paraisópolis, do programa Einstein da Comunidade, no anfiteatro. Em seguida, no mesmo local,  a escola Movimento e Danças apresenta dança e canto. Enquanto isso, no palco externo,  o CCT Paraisópolis faz percussão e dança.  Muitas atividades acontecem simultaneamente em locais diferentes.  

Com a participação de onze mil estudantes e moradores na última edição, o Festival é organizado por educadores, artistas, ativistas sociais e lideranças comunitárias, com a participação de mais de 50 instituições que atuam na comunidade – entre escolas, associações, ONGs e empreendimentos socioculturais. Desde 2016, a Fundação Via Varejo, por meio das Casas Bahia, vem apoiando a Mostra Cultural de Paraisópolis, e nesse ano contou com uma campanha de financiamento coletivo para custear suas oficinas..

Durante o ano é oferecida uma série de atividades prévias de formação para os educadores, além de oficinas culturais, que buscam a valorização da rica produção cultural das crianças, jovens e artistas de Paraisópolis.  A décima segunda edição agrega novos temas com a ampliação da rede Paraisópolis e vai além de uma mostra cultural, oferecendo oficinas preparatórias, concurso de logomarca e de redação, além de três encontros socioeducativos. O resultado é apresentado em um dia no Centro Educacional Unificado (CEU) Paraisópolis, localizado na Rua José Augusto de Souza e Silva.  A programação pode ser conferida no site: https://goo.gl/MA3Kw7 

 

A Mostra contará com a participação de Valdeck de Garanhuns com apresentando um show de contação de histórias no palco externo as 15h15.

O festival conta com a curadoria da Associação das Mulheres de Paraisópolis, Casa da Amizade, Escola Homero, União dos Moradores e Unisa.

 

Serviço

XII Mostra Cultural de Paraisópolis

Data: 16 de setembro

Horário: 09h às 17h

Local: CEU Paraisópolis

Endereço: Rua José Augusto de Souza e Silva s/n

Entrada gratuita

Categorias
Cidadania Cultura f

Programa “Como Será?” de Sandra Annenberg da TV Globo mostrou um pouco de projetos sociais de Paraisópolis

Categorias
Cultura

Ruas de Paraisópolis: Saiba quem foi Jeremy Bentham

O filósofo Jeremy Bentham  (Foto: Francisca Rodrigues)
O filósofo Jeremy Bentham
(Foto: Francisca Rodrigues)

Nascido em Londres em 15 de fevereiro de 1748, Jeremy Bentham  foi filósofo, jurista e um dos últimos iluministas a propor a construção de um sistema de filosofia moral, não apenas formal e especulativa, mas com a preocupação radical de alcançar uma solução a prática exercida pela sociedade de sua época. 

Entre os anos de 1755 e 1760 ele frequentou a escola de Westminster, onde adquiriu grande reputação por escrever versos em grego e latim. Essa formação lhe causou grande impacto negativo devido ao ambiente de enorme despotismo, uma forma de governo na qual uma única entidade governa com poder absoluto. 
Em 1760, devido à ambição de seu pai, Jeremy ingressou no The Queen’s College de Oxford, onde formou-se em outubro de 1763. Essa formação também não lhe gerou um impacto positivo. Também por pressão de seu pai, ele encerrou um relacionamento com uma mulher de classe social inferior, não desenvolvendo mais nenhuma relação de proximidade com outra mulher, dedicando-se somente aos estudos e a escrita.
 A pacata Rua Jeremy Bentham
Mais distante do centro comercial, Rua Jeremy Bentham é pouco movimentada (Foto: Francisca Rodrigues)
Mais distante do centro comercial, Rua Jeremy Bentham é pouco movimentada (Foto: Francisca Rodrigues)

Mais distante do centro comercial de Paraisópolis, a Rua Jeremy Bentham é pouco movimentada. Seu trecho inicia na Rua Iratinga e termina no Beco Amparo. Com casas apenas em um lado da rua, pois o outro lado inteiro é um muro de uma mansão, não tem comércios no local.

Categorias
Cultura

Assista a chamada para a Novela I ❤ Paraisópolis e curta a página administrada pela comunidade

Assista a Chamada Oficial para a Novela I Love Paraisópolis

Assista a Chamada Oficial para a Novela I Love Paraisópolis

Posted by I Love Paraisópolis on Sexta, 10 de abril de 2015

Categorias
Cidadania Cultura Educação

Conheça o trabalho de Dona Ana, diretora da escola Homero, em Paraisópolis

Por Francisca Rodrigues para o Jornal Espaço do Povo

Esquerda: Kátia Cristina, Silvana do Carmo e Maria Márcia. Direita: Cidinha, dona Laís e dona Ana (Foto: Francisca Rodrigues)
Esquerda: Kátia Cristina, Silvana do Carmo e Maria Márcia. Direita: Cidinha, dona Laís e dona Ana (Foto: Francisca Rodrigues)

Nascida em São Paulo, em  1951,  Ana Maria Dufner Pássaro chegou em Paraisópolis em  agosto de 1997, vinte anos após a Escola Homero dos Santos Fortes ser inaugurada. Veio designada a  ser diretora da escola que,  na época, junto com a Etelvina de Goes Marcucci eram as únicas escolas da região. 

De acordo com dona Ana a quantidade de alunos já era muito grande e um dos  maiores problemas era o atendimento da demanda. “O Etelvina e o Homero não davam conta e foi uma das coisas que eu me envolvi bastante junto com o pessoal da comunidade e com a Diretoria de Ensino”. Junto com a COGESP, órgão que coordenava a escola na época,  a diretora ajudou a  identificar um terreno onde pudesse ser construído uma escola, foi quando surgiu  Maria Zilda, a terceira escola na região.
Antes de chegar na comunidade, dona Ana não conhecia o local onde iria trabalhar. Moradora do Butantã, ela saiu de uma escola onde trabalhou por 17 anos. “Foi uma saída triste para mim, porque a gente se acostuma com o local de trabalho”, comentou.  
De acordo com a diretora, após dois meses habituou-se com os alunos e com a comunidade. E, dois anos após sua chegada prestou um concurso para diretor da escola. “Eu  ingressei nessa época e tive a oportunidade de escolher. Decidi ficar aqui na comunidade, decidi ficar no Homero”.
Orgulhosa do trabalho que desenvolve junto com sua equipe, não hesita em dizer que ” a escola Homero é uma das  melhores escolas de Paraisópolis” e uma das melhores do Estado de São Paulo. “Haja visto as metas do IDESP que a gente sempre atinge e isso é motivo de orgulho para nós. Significa que nosso trabalho está surtindo os efeitos desejados. Esse trabalho sempre é calcado, ele é orientado pela Diretoria de Ensino, pelas nossas cabeças, porque ninguém trabalha sozinho no Homero” completa. 
A equipe da Escola Homero dos Santos Fortes
Toda edição o Jornal Espaço do Povo faz um recorte da história de pessoas que, de certa forma, contribuem para o  desenvolvimento da comunidade seja na educação, cultura ou saúde. Nesta edição, escolhemos falar da dona Ana, diretora da escola Homero. A nossa personagem  fez questão que sua trajetória na escola fosse contada junto com outras personagens que também fizeram a diferença no trabalho educacional em Paraisópolis.
Com o lema “Ninguém trabalha sozinho” dona Ana reuniu sua equipe, composta por mais cinco mulheres, para contar como o trabalho delas fez com que  a Escola Homero dos Santos Fortes se tornasse uma das melhores escolas públicas da região. Conheça a trajetória de cada uma delas a seguir:
Silvana do Carmo
Há  24 anos Silvana trabalha na comunidade, só de Homero tem 20. Tabalha há 26 anos no Estado, começou em Santana de Parnaíba. Quando chegou em Paraisópolis trabalhou no Homero, Maria Zilda, Etelvina e  também na Associação Crescer Sempre.
Kátia Cristina Misael Narciso
Trabalha há sete anos no Homero, está há pelo menos quatro como vice diretora da Escola da Família. Kátia também trabalhou no Maria Zilda durante dois anos. É professora efetiva,  foi convidada pela dona Ana para trabalhar na vice direção da escola. 
Maria Márcia B. Gallina
Chegou em Paraisópolis em 1993, como professora de matemática, quando o Homero ainda tinha da 5ª a 8ª série. Em 2002, se  tornou coordenadora a convite da dona Ana e desde então coordena o EFAI – Ensino Fundamental Anos Iniciais 1º ao 5º ano. 
Maria Aparecida da Silva Cidinha – 
Está em Paraisópolis desde 2002. Há 10 anos trabalha no Homero, sua relação com a comunidade começou na escola Maria Zilda, onde era professora. Desde 2004 trabalha com EJA – Educação de Jovens e Adultos.
Lair  Aparecida Dal-Ri 
Trabalha há 19 anos no Homero, é vice diretora no período da noite. Segundo ela, chegou em Paraisópolis com pouca experiência  e foi aprendendo a conhecer e a lidar com pessoas.  
Categorias
Cultura f Notícias

Bruna Marquezine divulga foto da novela que terá Paraisópolis como cenário

10903663_1517410475188069_850126327_n
Bruna Marquezine acaba de divulgar uma foto em seu Instagram sobre a sua próxima novela, “Lady Marizete”. A atriz já começou as gravações e mostra um altar com as palavras: “Eu amo Paraisópolis”.

A nova personagem de Bruna Marquezine vai morar na favela e será protagonista da novela das sete “Lady Marizete” (nome ainda não confirmado). Sabemos pouco da trama que substituirá Alto Astral, mas aparentemente, a atriz viverá uma jovem moradora do bairro Paraisópolis. Ela lutará pela sua comunidade principalmente contra as investidas da ambiciosa Soraya, vivida por Letícia Spiller. E para combater a malvada, será preciso muita reza! Por isso, eles até parecem ter improvisado um altar no Projac e foi ele o alvo da foto da atriz. “Nosso altar // I love (imagem de coração) Paraisópolis #VemMari”, escreveu a Bruna na legenda da imagem.

Categorias
Cultura

Vídeo-aperitivo da IX Mostra Cultural de Paraisópolis

.

Categorias
Cultura

Nesta quarta-feira Rádio Nova Paraisópolis 87,5 completa 4 anos, participe da programação especial

unnamed

Categorias
Cultura Cursos

Orquestra Filarmônica de Paraisópolis oferece bolsas de estudos

Espaço do Povo 30

Captura de Tela 2014-03-26 às 20.23.50Com o objetivo de incentivar os alunos que pretendem seguir carreira, a Orquestra Filarmônica de Paraisópolis, a partir de março, passou a oferecer 40 bolsas de estudo para os alunos que estão inscritos há mais de 1 ano no projeto. Serão oferecidos dois tipos de bolsas: Bolsa Aprendiz e Bolsa Incentivo.

“Nós temos muitos jovens e adolescentes com um futuro promissor na carreira musical, que muitas vezes não podem se dedicar integralmente porque tem que conciliar estudo e trabalho”, afirmou o diretor e maestro Paulo Rydlewski.

Destinada a alunos a partir de 15 anos que pretendem se profissionalizar, a Bolsa Aprendiz irá auxiliar para que os alunos não abandonem seus estudos musicais até ingressar em uma orquestra semiprofissional ou profissional. Para ser beneficiado, o aluno deverá ter bom desempenho na orquestra, comprometimento com o trabalho, ausência de faltas não justificadas e currículo escolar com aproveitamento acima da média.

Já a Bolsa Incentivo, irá auxiliar profissionais em formação que ainda não estão integrados a uma orquestra profissional e que prestam serviços nos grupos de Prática em Grupo e Prática de Orquestra. Eles também irão desempenhar função de monitoria (reforço) junto aos alunos iniciantes.

“Muitos alunos não podem se dedicar a música devido à necessidade de trabalhar para ajudar com as despesas de casa. Os recursos irão auxiliar nesta questão, proporcionando a eles um melhor desempenho e dedicação na carreira musical”, afirmou Gilson Rodrigues, presidente da União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis (União).

Categorias
Cultura

Vice-Cônsul da Rússia visita Paraisópolis e anuncia exposição sobre Yuri Gagarin no Brasil

Captura de Tela 2014-03-26 às 19.34.43No dia 21, o Vice-Cônsul da Rússia, Konstantin Biryukov, visitou a comunidade de Paraisópolis e conheceu a União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis (UMCP) e também o projeto Ballet Paraisópolis.

Konstantin falou sobre a exposição que será realizada na comunidade em homenagem aos 80 anos de Yuri Gagarin, primeiro cosmonauta russo, e também aos 53 anos do primeiro voo do homem ao cosmos, comemorado em 12 de abril.

Além disso, foi discutida a concessão de bolsas na escola de Ballet Bolshoi aqui no Brasil e também na Rússia.