Categorias
Destaque

Pinacoteca de São Paulo possui acervo com quatro mil peças

Quem busca conhecer as atrações culturais de São Paulo precisa incluir na programação uma visita à Pinacoteca do Estado. Fundada em 1905, é o museu de arte mais antigo da cidade, com ênfase na produção brasileira do século 19 até a atualidade.

O acervo original da Pinacoteca foi formado com a transferência de 20 obras do Museu Paulista da Universidade de São Paulo de importantes artistas paulistas, como Almeida Júnior, Pedro Alexandrino e Oscar Pereira da Silva.

Com cerca de 4 mil peças, o Museu também abriga obras representativas de Cândido Portinari, Anita Malfatti, Victor Brecheret, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti.

A Pinacoteca mantém um expressivo e variado acervo de arte brasileira, principalmente dos séculos 19 e 20, entre pinturas, esculturas, desenhos, gravuras, fotografias, tapeçarias, objetos de arte decorativa e um seleto conjunto de imaginária do período colonial, capazes de fornecer um amplo panorama da arte nacional.

O prédio ocupado pela Pinacoteca foi projetado por Ramos de Azevedo em 1897, e hoje abriga em seus salões restaurados importantes exposições, como as de Rodin e Miró. O Pavilhão das Artes, localizado no Parque do Ibirapuera, também faz parte da Pinacoteca do Estado.

Conheça pelo Tour Virtual

Também é possível fazer um tour virtual no segundo andar da Pina_Luz, onde está a exposição Arte no Brasil – Uma história na Pinacoteca de São Paulo. Navegue pelas salas, corredores, varandas e veja as obras virtualmente aqui.

serviço

Pinacoteca do Estado de São Paulo 
Quarta a segunda, das 10h às 17h30, com permanência até 18h
Praça da Luz, 2 – Luz – Centro (Metrô Luz) Preço: R$ 6 (inteira) e R$ 3 para estudantes, crianças e idosos
Tel.: (11) 3324-1000 / www.pinacoteca.org.br
Grátis aos sábados

Categorias
Destaque

ProUni divulga hoje resultado da primeira chamada

O resultado da primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) será divulgado hoje (6) na internet. Aqueles que forem pré-selecionados terão desta quarta-feira até o dia 14 para fazer a matrícula.

Os estudantes devem comparecer às instituições com os documentos que comprovam as informações prestadas na ficha de inscrição. Cabe aos candidatos verificar os horários e o local de comparecimento para a aferição das informações. A lista da documentação necessária está disponível na internet.

Algumas instituições podem exigir dos candidatos aprovados que façam uma prova. Os estudantes devem verificar, no momento da inscrição, se a instituição vai aplicar processo seletivo próprio. As instituições que optarem por processo próprio devem explicar formalmente aos estudantes, no prazo máximo de 24 horas da divulgação dos resultados das chamadas, a natureza e os critérios de aprovação.

O registro da aprovação ou reprovação dos candidatos no Sistema Informatizado do ProUni e a emissão dos respectivos termos de Concessão de Bolsa ou termos de Reprovação pelas instituições de ensino serão feitos entre os dias 6 e 18 de fevereiro para os selecionados na primeira chamada. Caso o estudante não compareça no prazo estipulado, ele será reprovado.

Aqueles que não forem selecionados na primeira chamada poderão ainda ser aprovados na segunda, que será divulgada no dia 20 de fevereiro. Haverá também uma terceira chance. Quem não for escolhido, pode integrar a lista de espera nos dias 7 e 8 de março.

Inscrições

Ao todo, 946.979 candidatos se inscreveram na primeira edição do ProUni deste ano, de acordo com o Ministério da Educação. Como cada candidato podia escolher até duas opções de curso, o número de inscrições chegou a 1.820.446.

Nesta edição são ofertadas 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Do total de bolsas, 116.813 são integrais e 127.075, parciais, de 50% do valor das mensalidades.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Em contrapartida, o programa oferece isenção de tributos às instituições que aderem ao programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear ainda Bolsa Permanência, para ajudar nos custos dos estudos, e podem também usar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para garantir parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

(Fonte: Agência Brasil)

Categorias
Destaque

Patrícia Nakamura|O custo do hábito: macarrão instantâneo é mais caro que massa importada

Já deve ter acontecido com você: chegou em casa tarde da noite, morrendo de fome e de cansaço. Para tapear o estômago, prepara um macarrão instantâneo (o famoso lámen fabricado pelas mais diversas marcas… sim, esse mesmo que você está pensando), joga o temperinho na água e… pronto! Uma refeição rápida, prática e barata. 

Peraí: barata? 

Dias atrás, revi uma reportagem do Buzzfeed feita a partir de um post no Facebook da design Lavinia Carvalho, provando que o quilo do lámen de uma famosa marca é mais caro do que a mesma quantidade de capellini, um tipo de macarrão, de uma marca italiana. E o tempo de cozimento? Três minutos são necessários para preparar qualquer uma das duas massas. 

Como a reportagem é de 2016, resolvi pesquisar o preço dos dois produtos numa das minhas visitas mensais ao supermercado.

E adivinhem? O pacote de capellini estava mais barato do que em 2016, ao passo que o lámen ficou alguns bons centavos mais caro. Vamos lá:

O pacotinho de 85 gramas do produto instantâneo custava, na semana passada, R$ 1,35. Já a embalagem de 500 gramas do capellini estava R$ 6,39. 

Para ficar mais fácil, vamos fazer a comparação pelo peso. Então:

  • um quilo de capellini vale R$ 12,78
  • um quilo de lámen sai por R$ 15,88

A diferença é de R$ 3,10. Pode parecer pouco, mas você pode usar o dinheiro para comprar alguns tomates frescos e complementar sua refeição. 

Sabe o que é o pior de tudo? A versão instantânea tem mais calorias do que o capellini comum! 

E se der vontade de comer um lámen bem quentinho e cheio de caldo com o sabor de sua preferência? Vá lá, não passe vontade. É uma delícia comer uma bobagem às vezes. Só não torne isso um hábito diário. E bom apetite!

Categorias
Destaque

Projeto propõe criação dos Jogos Municipais do Idoso em São Paulo

PL (Projeto de Lei) 355/18, de autoria do vereador Antonio Donato (PT), propõe a organização dos Jogos Municipais do Idoso, voltado a atender as necessidades da população com mais de 60 anos de idade.

Segundo a justificativa do PL, que tem a coautoria da vereadora Adriana Ramalho (PSDB), a iniciativa se enquadra nas práticas preconizadas pelo Estatuto do Idoso, de 1997, que defende o direito às práticas culturais, esportivas e de lazer como fundamentais para a qualidade de vida dessa faixa etária.

Ainda entre as justificativas, o texto, em tramitação na Câmara, destaca o ritmo de crescimento acelerado do número de pessoas idosas no país, tendência verificada nos censos demográficos das últimas décadas. Segundo informa o PL, em 1960, eram três milhões de idosos no Brasil; e em 2002, 14 milhões. E a estimativa é a população idosa chegar a 30 milhões em 2020.

Embora as secretarias da Prefeitura Municipal de São Paulo mantenham equipamentos e atividades específicas para os idosos, segundo o texto proposto, não há um evento esportivo oficial, competitivo e organizado, dedicado a este público, daí a ideia, inspirada, segundo os autores, nos Jogos Regionais do Idoso (JORI), organizados pelo Governo do Estado de São Paulo.

Categorias
Destaque

Calor intenso e inverno severo são efeitos do aquecimento global

O calor sentido em São Paulo, que se repetiu em praticamente todas as capitais brasileiras, tem uma relação com o frio intenso que castiga o oeste americano: o aquecimento global. É o que afirmam os especialistas do Observatório do Clima, entidade que procura alertar autoridades de diversos estados brasileiros para os riscos que as questões climáticas trazem ao homem e ao planeta.

A explicação, embora pareça simples, também está longe de ser “resolvida”, pois o que os especialistas explicam é a existência de três grandes “bloqueios atmosféricos”. Essa condição, que geralmente tem curta duração (cerca de dez dias), em 2014 superou esse limite em quase dois meses. Esse ano foi marcado por uma crise hídrica que todos os brasileiros jamais esquecerão.

Pois o verão de 2019 está sendo muito mais quente que o de 2014, e quase tão seco quanto. Segundo Marcelo Seluchi, climatologista do Cemaden (Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), a causa do calor e da falta de chuvas é um sistema de alta pressão sobre o centro-leste do Brasil, que deixa o ar mais seco, denso e estável, impedindo a formação de chuvas.

A origem pode estar relacionada a variações na cobertura de gelo marinho na Antártica ou a mudanças de circulação no oeste do Pacífico Tropical. Os especialistas ressaltam que, embora não seja possível atribuir fenômenos isolados ao aquecimento global, é impossível ignorar os efeitos causados por ele nos extremos sazonais do planeta. Basta conferir algumas médias: enquanto a Austrália superou as expectativas (50ºC), algumas capitais brasileiras também surpreenderam, como Florianópolis (40ºC), Porto Alegre (38,5ºC), São Paulo (31,8ºC) e Rio de Janeiro (40,4ºC).

O que fazer
Os governos, em todas as esferas, precisam adotar políticas públicas que contenham o aquecimento global. Mas compete a cada um adotar quatro atitudes para o combate ao problema. Confira:
Produzir menos lixo
Cada cidadão deve se conscientizar de reciclar o que for possível, pois os materiais em decomposição liberam CO2 e metano, gases que contribuem para o efeito estufa.

Preferir o transporte coletivo
O volume de veículos individuais contribui com o aumento da queima de combustíveis fósseis, a principal fonte de emissão de gases de efeito estufa (GEE).

Consumir produtos locais
Quando se adquire um produto fabricado em local distante, contribui-se para a emissão de GEE do veículo (ou meio de transporte) utilizado para trazer o bem até você.

Evitar o ar-condicionado
Se, por um lado, ele “resfria” o local, por outro libera o gás HFC (mais potente que o CO2) e joga na atmosfera o ar quente, contribuindo para elevar sua temperatura.

Fontes:
http://www.observatoriodoclima.eco.br/com-calor-voce-nao-esta/
https://www.wwf.org.br/

Categorias
Destaque

Orientações para manter uma rotina alimentar saudável com a correria do dia a dia

Segundo nutricionista, organização e disciplina são essenciais para incorporar novos hábitos alimentares na rotina

A correria na rotina é uma realidade na vida de muitas pessoas. É necessário conciliar trabalho, estudos, afazeres domésticos, responsabilidades e compromissos. O cotidiano se torna tão agitado que faz parecer inviável também manter uma rotina alimentar saudável. Os maiores desafios se dão pela falta de tempo para comprar, selecionar e preparar refeições balanceadas.

No entanto, apesar de ser cansativo e difícil, não é impossível obter e incorporar novos hábitos alimentares com benefícios e ganhos para a saúde. Pelo contrário, existem opções rápidas e práticas para quem está nessa busca. De acordo com Karine de Cassia Freitas, nutricionista e membro da Câmara Técnica do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região SP/MS, há algumas estratégias que devem ser adotadas e podem ajudar, mas, antes de tudo é preciso ter foco e o real desejo de atingir essa meta.

”Organização e disciplina são palavras-chave inicialmente. O planejamento da rotina é essencial para o êxito deste objetivo”, assegura Karine. Segundo a nutricionista, as escolhas alimentares sofrem influência de muitos fatores que estão relacionados entre si, em diferentes contextos. “Assim, essas escolhas não são unicamente determinadas pelas necessidades fisiológicas ou nutricionais, mas também pelo meio social e cultural. Essas interações sociais e a cultura na qual o indivíduo é criado apresentam grande influência nas escolhas alimentares e nos comportamentos”, explica.

Estratégias e auxílios para uma dieta equilibrada

Evite excessos: Em dias estressantes, é mais propício o consumo de alimentos práticos e de fácil acesso, como lanches e bolachas. Para a nutricionista, o ideal é evitar essas situações, se hidratando bastante durante o dia e comendo alimentos práticos, como frutas ou até lanches com ingredientes in natura, o que evita o jejum prolongado. “É também importante observar as quantidades de alimentos, evitando excessos, e para isso, coma devagar e mastigue bem os alimentos”, aconselha. “Evite distrações durante as refeições, como a televisão ou celular e deixe alimentos saudáveis prontos ou semi-prontos na geladeira, evitando os industrializados”, complementa.

Variedade na alimentação: Para aqueles que comem na rua ou que gostam de adquirir os alimentos prontos, há de se lembrar que atualmente já há uma ampla variedade de preparações rápidas nos mercados, como alimentos frescos prontos para consumo (saladas pré-higienizadas e frutas picadas), além de restaurantes que oferecem alimentos saudáveis em balcões, cabendo ao indivíduo fazer a escolha. “Uma alimentação equilibrada também pede variedade, pois cada alimento tem uma composição nutricional única”, diz Karine.

Congelamento: Dentre as estratégias que ajudam no preparo de refeições saudáveis e que, portanto, auxiliam no dia a dia, encontra-se o congelamento. “Alguns legumes e verduras, por exemplo, podem ser congelados crus e vão direto para o freezer, enquanto outros precisam de um pré-cozimento em água fervente, seguido de um banho rápido em uma tigela com água gelada, o que interrompe o cozimento – a essa técnica chama-se branqueamento de alimentos e, inclusive, feijão e outras leguminosas também podem ser congeladas após cozidas (grão-de-bico e a soja), assim como as carnes”, explica. “Lembrando que é importante realizar o descongelamento de forma adequada também”, orienta.

Acompanhamento familiar: É importante que a família toda se envolva nesse processo. Uma única pessoa não pode ter a responsabilidade de realizar todas as atividades relacionadas ao preparo de alimento (saber o que tem em casa, fazer compras, preparar, limpar) e, na maioria das vezes ainda trabalhar fora. Para a nutricionista, os familiares devem ser treinados quanto à elaboração de lista de compras, planejamento do cardápio e organização dos lanches das crianças, se for o caso, ou para levar ao trabalho, evitando a compra de alimentos calóricos pela rua. “Esses são pontos cruciais para a organização alimentar do dia a dia”, conclui Karine. 

Categorias
Destaque

Solange Luz | A Realidade da Vida Conectada

Anúncios direcionados, na internet e no celular, estão ficando tão específicos que às vezes temos a sensação de perseguição. Especialistas alertam sobre isso, ainda que não nos importemos em sermos perseguidos pela última marca de tênis ou pelo último destino de voo  sobre o qual pesquisamos ou apenas conversamos, escândalos como o da Cambridge Analytica trouxeram à tona uma prática comum e perturbadora das plataformas digitais: a vasta quantidade de dados coletados sobre nós é cada vez mais usada para descobrir nossos desejos e necessidades.

A informação acima foi grandemente discutida no lançamento do Caderno Globo chamado “Entre Dados” que trouxe reflexões importantíssimas sobre a coleta de informações pessoais para fins comerciais. (Saiba mais em Caderno Globo). Não é segredo que nossos aparelhos eletrônicos têm acesso ao que vemos, ouvimos e falamos. O escândalo do Facebook revelou que mensagens de texto, duração de chamadas realizadas e até mesmo o registro de telefonemas perdidos eram coletadas mesmo de usuários que haviam deletados suas contas.

Eis a Questão:

De quem é a propriedade dos dados – e quem pode acessá-lo?

Por exemplo: se sua SmartTV consegue escutar e interpretar os diálogos que você conversa com sua família na sala. Qual o limite da coleta e uso dessas informações? Imagine se seu seguro saúde determinasse o valor a ser cobrado dependendo da qualidade das suas compras, seu nível de atividade física ou velocidade na qual dirige? A tecnologia para tudo isso existe: linguagem natural, reconhecimento facial, só não está totalmente – conectada, é o que afirma a especialista nessas áreas Luciana Bazanella

Dados Pessoais São “Moedas”

Os dados pessoais viraram uma forma de “moeda”. Nós usuários não pagamos “nada” na utilização de diversos serviços digitais, como os aplicativos de bancos, supermercados, e redes sociais. Mas a grande verdade é que não existe nada grátis. Quando nos oferecem um serviço gratuito, somos nós a mercadoria.

Como Proteger seus Dados?

No início do ano passado entrou em vigor na Europa O Regulamento Geral de Proteção de Dados, também conhecido como GDPR, um conjunto de regras que equilibra a relação entre grandes empresas de tecnologia que coletam dados e os usuários de onde elas coletam. Por padrão, sempre que uma empresa coletar dados pessoais de um cidadão será necessário consentimento explícito dessa pessoa. Grandes empresas como Google já estão adaptando a forma de coletar os dados de seus usuários.

A grande verdade, entretanto, é que a tecnologia avança de forma muito mais rápida do que conseguimos discutir suas implicações éticas ou ainda regulamentá-las. Apesar disso, precisamos estar atentos a todos os movimentos relacionados a privacidade de nossos dados. Estar atentos aos termos que nunca lemos mas aceitamos ao fazer downloads de determinado produto ou serviço é uma prática que também precisamos melhor.

Categorias
Destaque

Metrô: confira roteiro de exposições para o mês de fevereiro

Neste mês de fevereiro, a Linha da Cultura do Metrô prepara uma série de atrações incluindo mostras fotográficas, esculturas e opções de arte e entretenimento em várias estações da Companhia.

A Estação Sé, no centro da capital, por onde passam usuários das linhas 1-Azul e 3-Vermelha recebe, terá a partir do dia 10 a exposição ‘Paisagem de Capim’, da artista Edna Carla Stradioto. A mostra conta com 19 pinturas em aquarela que simbolizam os sentimentos em lindas paisagens ilustrativas e permanece até o fim do mês no mezanino da estação.

Na linha 3-Vermelha, a Estação Santa Cecília será palco, a partir do dia 18, de ‘O Mundo de Tludi: Bem-Vindos ao planeta Terra’. A mostra reúne figurinos de um espetáculo de dança realizado em 2018 pela Comunidade EcoFashion, iniciativa que promove a cultura, a reciclagem e a conscientização ambiental em um evento de moda sustentável. Os figurinos são produzidos com materiais recicláveis como sacolas e garrafas e ficarão expostos até o fim naquela estação.

Na Santa Cruz, linha 1-Azul, recebe a mostra ‘O Carnaval de Lasar Segall’, que reúne 20 fotografias sobre as atividades que a Sociedade Pró-Arte Moderna – SPAM realizou para arrecadar fundos para a instituição.

A SPAM promoveu bailes de carnaval e Lasar Segall, como um dos fundadores, criou figurinos e elaborou espaços decorativos para os bailes. Os usuários poderão visitar a exposição a partir do dia 5 de fevereiro, que fica no mezanino da estação.

A Vitrine Cultural São Bento na estação de mesmo nome, também da linha 1-Azul, recebe a instalação ‘Mar e Mata Atlântica’, do designer Marivaldo Pimentel. Ao todo 15 obras esculpidas e soldadas compõem a mostra. As peças representam insetos em forma de verdadeiras joias e são uma homenagem aos que lutam pela preservação da Mata Atlântica, uma das florestas mais ameaças do planeta.

Para acompanhar a programação completa da Linha da Cultura do Metrô, acesse: http://www.metro.sp.gov.br/cultura/linha-cultura/programacao.aspx.

Categorias
Destaque

Proposta em discussão busca reinserir idosos no mercado de trabalho

Com o objetivo de promover a reinserção de idosos no mercado de trabalho, o PL (Projeto de Lei) 217/18, de autoria da vereadora Adriana Ramalho (PSDB), sugere a criação do Programa Ativa Idade, que se concentra na capacitação e requalificação profissional dessa parcela da população paulistana.

Entre os objetivos do programa sugerido, está oferecer à população idosa um sistema de informações sobre as vagas de trabalho disponíveis. E também reduzir o preconceito em relação à idade nos ambientes profissionais, desde o processo de contratação.

O Programa busca ainda promover redes de contatos para os idosos, com o objetivo de melhorar as condições de saúde e a qualidade de vida dos idosos por meio do trabalho, o que permitiria reduzir o impacto econômico associado ao envelhecimento populacional e a dependência econômica.

Com a aprovação do PL, o Poder Executivo Municipal estará autorizado a conceder incentivos fiscais a empresas e trabalhadores que aderirem ao Programa Ativa Idade, bem como conferir isenção de ISS (Impostos sobre Serviços), IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) e Taxas de Licenças para idosos que trabalharem como autônomos.

“Para uma saída mais tardia do mercado de trabalho, é importante garantir ao trabalhador qualidade de vida adequada à sua idade. Porém, para que isso ocorra, faz-se necessária a atenção dos governantes para uma gama de fatores, e o planejamento de políticas específicas para esse segmento”, afirma a justificativa do Projeto, que segue em tramitação na Câmara.

Categorias
Destaque

Mercado passa a ver Selic estável em 6,5% neste ano

O mercado revisou para baixo a projeção para a taxa básica de juros e passou a considerar que não haverá mudanças neste ano, em meio a um cenário inflacionário benigno com alta do IPCA prevista abaixo de 4 por cento.

A projeção para a Selic em 2019 na pesquisa Focus realizada semanalmente pelo Banco Central caiu a 6,5 por cento, o atual piso histórico, de 7,00 por cento no levantamento anterior. Para 2020 permanece a expectativa de que os juros terminarão a 8 por cento.

Com isso, as expectativas para a política monetária se alinham àquelas do Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões.

No Focus divulgado nesta segunda-feira, os economistas reduziram ainda a perspectiva para a alta do IPCA em 2019, vendo a inflação a 3,94 por cento, de 4 por cento antes. Para o próximo ano permanece a projeção de alta de 4 por cento.

O centro da meta oficial de 2019 é de 4,25 por cento e, de 2020, de 4 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), a pesquisa semanal com uma centena de economistas não mostrou alterações, com o crescimento previsto em 2,5 por cento tanto para este ano quanto para o próximo.

( Fonte: Reuters )