Categorias
Destaque

Patrícia Nakamura|Largue o cigarro e economize um dinheirão

O custo do hábito: cigarro 

Os antitabagistas já apelaram para todo tipo de argumento para convencer

alguém querido a largar o cigarro. Fotos de cinzeiros repletos de guimbas, imagens de pulmões danificados, o cheiro ruim na roupa, o dente amarelado – nenhum apelo parece comover o fumante a deixar o vício.

Recentemente travei o diálogo abaixo com uma amiga:

– E aí, quanto custa esse maço de 20 cigarros?

– R$ 7,50.

– E quanto você fuma por dia?

– O maço todo. Às vezes, fumo uns 30.

Pausa para fazer uma conta rápida. A moça destinava mais de R$ 2,7 mil por ano

ao cigarro. Mostrei o resultado a ela.

– Eu sei. É muito dinheiro.

– Se você guardasse esse dinheiro todo ano ao longo de 20 anos, acumularia

mais de R$ 50 mil, sem contar os juros de uma aplicação.

– Pois é, meu pai fumou 40 cigarros por dia ao longo 40 anos e não fez

diferença alguma nas finanças de casa.

Depois disso, acendeu outro cigarro e voltou a fazer o que estava fazendo.

Outra olhada na calculadora. Sem considerar juros, mais de R$ 200 mil 

viraram, literalmente, fumaça em quatro décadas! Isso sem contar com os custos adicionais do vício: isqueiros, cinzeiros, balinhas para o hálito, consultas médicas e remédios… 

Ninguém ficou rico ao deixar de fumar. Aliás, a maioria das pessoas que largaram o vício acabaram substituindo-o por outro hábito qualquer – e gastando o mesmo ou mais dinheiro com a nova mania. Aí também não vale! 

Que tal transformar a economia em seu novo hábito, pelo menos até conseguir se

dar um presentão? Ou mesmo guardar para sua reserva futura?Seu pulmão agradece e seu bolso também!

Categorias
Destaque

Dívida pública pode chegar a R$ 4,3 trilhões em 2019

O PAF (Plano Anual de Financiamento) para 2019, divulgado nesta 2ª feira (28.jan.2019) pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Economia, estabelece que a dívida pública pode oscilar de R$ 4,1 trilhões a R$ 4,3 trilhões este ano.

Em 2018, chegou a R$ 3,87 trilhões –a expectativa do Tesouro é que a dívida bruta do governo central alcance 78,2% do PIB. A secretaria espera ainda que a dívida fique em 79,3% do PIB em 2019, 80,1% em 2020 e 80,6% em 2021.

A partir de 2021, o Tesouro projeta uma redução do endividamento. Para 2027 –última projeção divulgada– a estimativa é que chegue a 74,3%.

O Tesouro, porém, considera a aprovação da reforma da Previdência em seu cenário-base. “Não foi considerada a possibilidade de nenhuma reforma da Previdência ser aprovada”, afirmou o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida.

Para a composição da dívida, foram determinados os seguintes limites:

  • títulos com remuneração prefixada – mínimo de 29% e máximo de 33%;
  • títulos pós-fixados – mínimo de 38% e máximo de 42%;
  • títulos indexados ao IPCA – mínimo de 24% e máximo de 28%;
  • títulos atrelados à taxa de câmbio – mínimo de 3% e máximo de 7%.

A secretaria considerou como pior cenário a “aprovação de uma reforma aquém das expectativas” e como melhor uma reforma aprovada de forma “mais rápida” do que o mercado espera. O meio termo é a aprovação de uma reforma nos moldes da que está em tramitação no Congresso, proposta pelo governo Temer.

A dívida pública é emitida pelo Tesouro Nacional para financiar o deficit orçamentário do governo, ou seja, para cobrir as despesas que superam a arrecadação com impostos, contribuições e outras receitas.

Categorias
Destaque

#VoltaÀsAulas: ano letivo terá início no dia 1º de fevereiro

Na próxima sexta-feira (1º), os 3,6 milhões de estudantes da rede estadual de ensino retornam às salas de aulas nas mais de 5 mil unidades de ensino de todo o estado. As datas do calendário escolar 2019 foram publicadas no Diário Oficial da edição de 6 de dezembro de 2018.

O ano letivo terá início no dia 1º de fevereiro para as mais de cinco mil escolas da rede. A programação respeita o mínimo de 200 dias exigido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (9394/96).

O documento determina ainda que o encerramento do período de aulas regulares do 1º semestre será no dia 27 de junho. O início do 2º semestre foi definido para 29 de julho, sendo a volta dos alunos em 31 de julho.

As escolas devem encerrar o na letivo, no mínimo, dia 16 dezembro. É a partir desses limites que as unidades de ensino, de forma autônoma, organizam o próprio calendário pedagógico e de atividades.

Confira o calendário escolar 2019:

Calendário
2019
1º de fevereiro Início do ano letivo
27 de junho Encerramento do período de aulas regulares do 1º semestre
28 de junho Início das férias escolares
31 de julho Início das aulas do 2º semestre
16 de dezembro Data mínima para fim do ano letivo
Categorias
Destaque

Governo regulamenta transporte de pets no Metrô, CPTM e EMTU

O Governo do Estado de São Paulo sancionou, na ultima sexta-feira (25), o Projeto de Lei 727/2015, da Assembleia Legislativa, que regulamenta o transporte de animais domésticos de pequeno porte nos trens do Metrô, CPTM e ônibus intermunicipais da EMTU.

A terapeuta holística Cecília Reis comemorou a liberação de pets no Metrô e na CPTM. Ela e a sua cachorrinha Persephone passearam pela primeira vez no transporte público de São Paulo: “Eu tenho moto, ficava impossível levar ela passear. Podendo andar com ela no metrô, vai facilitar muito nossas vidas. A Persephone não vai mais parar em casa!”

Pelas novas regras, os animais devem pesar no máximo 10 quilos e ser acomodados em container próprio para este tipo de transporte, sempre fora dos horários de pico, ou seja: das 4h40 até as 6h; das 10h às 16h e das 19h até meia-noite.

O animal só poderá ser transportado em horários de pico, excepcionalmente, em caso de agendamento de ato cirúrgico, mediante apresentação de solicitação formal assinada pelo médico veterinário.

Esse traslado deverá ocorrer sem prejudicar a comodidade dos passageiros e terceiros, sempre observada a proibição do transporte do animal que, por sua ferocidade, peçonha ou saúde, provoque desconforto ou comprometa a segurança do veículo e das pessoas presentes.

A Lei, sancionada pelo governador em exercício Rodrigo Garcia, começa a valer a partir da data da publicação no Diário Oficial do Estado.

Categorias
Destaque

Venha tomar o primeiro Banho de Parque do ano

Equilíbrio, bem-estar, criatividade e energias repostas. Para reabastecer estes elementos tão fundamentais para a rotina – normalmente retomada em fevereiro –, nada melhor que o contato com a natureza. Para começar o ano bem, a Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz (UMAPAZ), ferramenta de educação ambiental da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), oferece o primeiro Banho de Parque de 2019 nesta quinta (31), das 10h às 11h30.

Para falar sobre a técnica japonesa shinrin-yoku, ou banho de floresta, na qual é inspirado o exercício, o dia começa na sede da UMAPAZ. Em seguida, os participantes seguem para a prática do Banho de Parque no Viveiro Manequinho Lopes. A atividade é facilitada pela psicóloga Maria Elizabeth Bueno Vasconcellos e por Érica Regina de Sena Silva, bióloga e gestora ambiental responsável também pela coordenação.

Alguns benefícios da prática estão diretamente relacionados à saúde, como redução de batimentos cardíacos e da pressão arterial, e aumento da disposição, da concentração e da atividade das células de defesa do organismo. Consequentemente, contribui para a redução do estresse e para a melhora o humor. O exercício é livre para todos os interessados e ainda dá tempo de participar: basta se inscrever por meio do formulário online.

SERVIÇO
Banho de Parque
Data: 31 de janeiro (quinta)
Horário: das 10h às 11h30
Local: Av. IV Centenário, 1268 – Parque Ibirapuera

Inscrições para o Banho de Parque: pelo formulário eletrônico.

Categorias
Destaque

Estoques da Fundação Pró-Sangue permanecem em estado crítico

Fundação Pró-Sangue alerta para a o estado crítico dos estoques dos tipos O+, O-, A- e B- neste mês de janeiro. De acordo com a entidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde, há um registro histórico de 30% de queda das doações nesse período, que se acentua com a alta temperatura registrada nos termômetros.

Segundo especialistas, isso ocorre com a chegada das férias escolares e as viagens no período, o que impacta negativamente no armazenamento promovido pelos hemocentros de todo o Brasil. O esforço, agora, está voltado à normalização das reservas.

É recomendável evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e, no caso de bebidas alcoólicas, doze horas antes, alerta o presidente da Fundação Pró-Sangue, Vanderson Rocha. “Se a pessoa estiver com gripe ou resfriado, não deve doar temporariamente. Mesmo que tenha se recuperado, deve aguardar uma semana para que esteja novamente apta à doação”, explica o gestor.

Além disso, os candidatos devem se hidratar bem no dia da doação. Segundo um estudo feito pela Vanderbilt University Medical Center, nos Estados Unidos, a água sem nenhum aditivo pode ter um papel importante no controle da pressão sanguínea.

Critérios

Os candidatos também devem conferir os pré-requisitos básicos e os impedimentos à doação, de modo que não percam a viagem quando chegarem a um dos postos de coleta. Para garantir um atendimento eficiente e rápido, a fundação oferece aos interessados duas opções para doar sangue com hora marcada.

“Sempre tive dificuldades em doar sangue por conta do horário de trabalho. Agora descobri que é possível fazer agendamento para doar. Isso facilitou muito minha vida”, relata Pedro Ruiz, que doou pela primeira vez após fazer agendamento pelo “Alô Pró-Sangue”, por meio do telefone (11) 4573-7800.

Categorias
Destaque

Férias: Conheça o acervo de algumas bibliotecas virtuais

Seja nas férias ou no ano letivo, estimular o hábito pela leitura é sempre importante para desenvolver a capacidade crítica de crianças e jovens. Com as facilidades da internet, é possível acessar diversos livros sem sair de casa. E melhor, tudo de graça! 

Além de preencher o tempo livro, começar uma nova aventura é uma forma de conhecer novas histórias e viajar por vários lugares do mundo e da imaginação. Pensando nisso, separamos algumas dicas de bibliotecas virtuais que vão deixar as férias e a rotina escolar muito mais divertida:  

Biblioteca Digital MundialA página da Biblioteca Digital conta com livros, manuscritos e mapas interativos. É possível pesquisar materiais sobre 193 países por período de tempo, lugar e idioma.  

Biblioteca do Instituto Brasileiro de Geografia e EstatísticaA biblioteca virtual reúne acervo fotográfico do IBGE, materiais de apoio à coleta de dados nas pesquisas realizadas pelo IBGE, mapas, livros e periódicos. 

Biblioteca Brasiliana Guita e José MidlinA página do acervo virtual disponibiliza livros, almanaques, manuscritos, entre outros conteúdos. O leitor pode fazer pesquisas por autor e assuntos como, por exemplo, História do Brasil e Literatura Brasileira. 

Project GutenbergSão disponibilizados mais 38.000 livros e o catálogo conta também com livros-áudios. A busca de obras pode ser feita por autor e títulos. 

Biblioteca Digital delPatrimonioIberoamericanoA página oferece acesso ao patrimônio cultural digital da América Latina. São disponibilizados materiais como, mapas, gravações de som, jornais e revistas, dentre outros conteúdos. 

Biblioteca Fernando PessoaConta com um acervo que pertenceu a Fernando Pessoa. O catálogo possui temas como, Matemática, Geografia, História e Biografias.

Categorias
Destaque

Aumenta o número de ciclistas na Ciclofaixa Rio Pinheiros da CPTM

As bicicletas estão cada vez mais conquistando espaço no cenário urbano da capital. A cada ano aumenta o número de ciclistas que utilizam a Ciclofaixa Rio Pinheiros da CPTM. No ano passado, foi um total de 495.307, um aumento de 5,3% em relação a 2017 e de 23,6% em relação a 2016.

Atualmente, aos finais de semana, são cerca de 4 mil pessoas pedalando, com média mensal de 40 mil bikes.  O funcionamento é diário, das 5h30 às 18h30, inclusive feriados. Durante o horário de verão, o horário é ampliado, das 5h às 19h30. Desde a inauguração, em fevereiro de 2010, um total de 5.484.112 ciclistas já percorreram a via.

Localizada entre as margens do rio Pinheiros e a Linha 9-Esmeralda da CPTM, a ciclofaixa se estende da estação Villa-Lobos-Jaguaré até a av. Miguel Yunes, entre as estações Jurubatuba e Autódromo. Ao todo, são seis acessos: um pela av. Miguel Yunes, nº 620; quatro junto às estações Jurubatuba, Santo Amaro, Vila Olímpia e Cidade Universitária; e o sexto pela ciclopassarela da Prefeitura nas proximidades da ponte Cidade Jardim (Parque do Povo).

A ciclofaixa oferece seis pontos de apoio com banheiro, bebedouro e área de descanso ao longo do percurso: av. Miguel Yunes, Santo Amaro, Vila Olímpia, Cidade Jardim, Cidade Universitária e Villa-Lobos/Jaguaré. Além disso, há um estacionamento para carros com 45 vagas, no acesso pela av. Miguel Yunes.

Ressalta-se que, em razão das obras de implantação da Linha 17-Ouro, a ciclofaixa está fechada entre as Estações Vila Olímpia e Granja Julieta (ponte João Dias). A alternativa para os usuários é a via aberta provisoriamente pelo Metrô na outra margem do Rio Pinheiros, com transposições nas pontes João Dias e Cidade Jardim.

Bikes nos trens e bicicletários

A CPTM ainda ajuda a promover a mobilidade, permitindo o acesso de ciclistas nos trens, de segunda a sexta-feira, das 20h30 até o encerramento da operação; aos sábados, a partir das 14h e aos domingos e feriados, durante todo período operacional, das 4h à meia-noite.

Os ciclistas também dispõem de 36 bicicletários ao lado das estações da CPTM, com 8.821 vagas. Desse total, 33 são de responsabilidade da Companhia. O bicicletário de Santo André é administrado pela EMTU, e o de Pinheiros pela Via 4. Todos gratuitos. A única exceção é o de Mauá, que é administrado pela associação de ciclistas Askobike.

Categorias
Destaque

USP tem museu dedicado à anatomia humana

Quer saber mais sobre o corpo humano e suas curiosidades? O Museu de Anatomia Humana da USP conta com um acervo composto de peças anatômicas e livros de anatomia, que começou a ser formado em 1914, pelo professor Alfonso Bovero. Com aproximadamente dois mil volumes, entre peças anatômicas preparadas e conservadas por diversos métodos, o Museu é uma atração para que tem curiosidade e quer saber mais sobre o corpo humano.

O local começou a receber visitantes a partir de 1960 na Faculdade de Medicina da USP e, em 1997, foi transferido para o Instituto de Ciências Biomédicas, quando alcançou o expressivo número de 1.800 peças expostas e uma biblioteca com aproximadamente dois mil volumes. Em 2014 foi fechado para reforma e, desde então, passou por uma reformulação.

As peças são separadas de acordo com os sistemas e aparelhos que compõem o corpo humano. Também se encontra, no local, 83 fetos com diversas anomalias. Sua reserva técnica conta com aproximadamente 300 peças. Uma sala com peças anatômicas artificiais foi criada para que os professores possam trabalhar os conceitos com os estudantes que visitarem a exposição.

O museu, que recebe entre 25 e 30 mil visitantes por ano, faz, periodicamente, palestras e exposições temáticas.

Destaques

Um dos grandes destaques do local é a biblioteca que conta com obras originais raras, como os livros “De Humani Corporis Fabrica”, escrito por Adreas Versalius em 1543, e “Opera Omnia”, escrito por Regnier de Graaf em 1678.

Por conta da deterioração, as obras não estão expostas ao público, disponíveis apenas para pesquisas específicas.

Outro grande destaque é a área de coleção de crânios, que conta com 500 peças de indivíduos jovens e adultos de ambos os sexos. A exposição também abriga o espaço Cápsula Bovero, que reproduz parte do escritório do anatomista e onde está instalada uma das mesas de mármore que Bovero utilizava em suas aulas e dissecções.

Serviço

Museu de Anatomia Humana Professor Alfonso Bovero De terça a sexta, das 13h às 16h Instituto de Ciências Biomédicas III – Cidade Universitária (Avenida Professor Lineu Prestes, 2415 – Butantã – São Paulo) Entrada gratuita (11) 3091-7360 museu.icb.usp.br

Categorias
Destaque

Mercado reduz projeção de crescimento da economia para 2,5% em 2019

Instituições financeiras, consultadas pelo Banco Central (BC), reduziram a projeção para o crescimento da economia, neste ano e em 2020. A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi ajustada de 2,53% para 2,50%, em 2019.

Para o próximo ano, a expectativa caiu de 2,60% para 2,50%. Em 2021 e 2022, a projeção segue em 2,50%. Essas são as previsões de instituições financeiras consultadas pelo BC todas as semanas sobre os principais indicadores econômicos.

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve ficar em 4% este ano.

Na semana passada, a projeção para o IPCA estava em 4,01%. A estimativa segue abaixo da meta de inflação (4,25%), com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%, este ano.

Para 2020, a projeção para o IPCA segue em 4%, há 82 semanas seguidas. Para 2021 e 2022, a estimativa permanece em 3,75%.

A meta de inflação é 4%, em 2020, e 3,75%, em 2021, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

O BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano, para alcançar a meta da taxa inflacionária.

De acordo com o mercado financeiro, a Selic deve encerrar 2019 em 7% ao ano e continuar a subir em 2020, encerrando o período em 8% ao ano, permanecendo nesse patamar em 2021 e 2022.

O Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic para conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

A manutenção da taxa básica de juros indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,75 no final deste ano, e em R$ 3,78, no fim de 2020.

(Fonte: Agência Brasil)