Paraisópolis: comece a fazer sua pauta de reivindicações

Do Blog do Planalto

Em entrevista à rádio Nova Paraisópolis 87,5 FM, nesta quinta-feira (23/12), o presidente Lula pediu para que a comunidade de Paraisópolis, uma das maiores favelas de São Paulo (SP), comece a colocar no papel todas as suas reivindicações para que elas possam ser apreciadas e atendidas pelo governo da presidente eleita Dilma Roussef. Na própria entrevista, realizada no aeroporto de Congonhas, foi feita a primeira: que seja construído um hospital geral de Paraisópolis dentro do programa de urbanização da comunidade. O presidente Lula prometeu conversar com a coordenadora do PAC, Miriam Belchior – futura ministra do Planejamento do governo Dilma – para que ela inclua a discussão sobre o hospital com o novo ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
“Acho que precisa, não basta apenas um posto de atendimento médico, que faça logo um hospital para o povo ter segurança. Serei portador da reivindicação do povo de Paraisópolis para o ministro da Saúde”, disse o presidente. Outro problema sério da comunidade discutido na entrevista é o analfabetismo – são 12 mil pessoas analfabetas ou semi-analfabetas adultas, segundo cálculos da própria comunidade. Lula afirmou que para isso é preciso pactuar com os prefeitos para que eles assumam essa responsabilidade. “Não é possível que, encostado no Morumbi, a gente tenha 12 mil analfabetos morando lá.” Sugeriu ainda que a rádio convidasse o ministro Fernando Haddad (Educação) para uma entrevista no começo de 2011 para que ele assuma o compromisso “de criar com vocês as condições para alfabetizar todos os adultos que tem em Paraisópolis”.
O presidente Lula também comentou a abertura, neste mês, de uma agência do Banco do Brasil em Paraisópolis – a primeira agência aberta em uma favela. O presidente afirmou que a atitude vai facilitar a vida das pessoas que moram na comunidade. “É sinal de progresso”, afirmou, acrescentando que espera que a Caixa Econômica Federal (CEF) faça o mesmo, para que os moradores de Paraisópolis “tenham tudo que as pessoas tem em outros lugares civilizados”.
Ao final da entrevista, o presidente Lula pediu apoio dos moradores de Paraisópolis para a presidente eleita Dilma Rousseff, porque “o Brasil está vivendo um momento extraordinário de autoestima, as pessoas estão mais felizes, acreditando mais no Brasil, e o povo está percebendo que as coisas estão mudando e estão melhorando”. Ao se despedir, disse que pretende visitar a favela em março ou abril de 2011 e pediu para fazer uma grande entrevista ao vivo na rádio da comunidade.

Entrevista com Presidente Lula para a Rádio Nova Paraisópolis 23/12/2010

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.