Sarau de Paraisópolis – 24 de Setembro

Nos anos 50 e 60 o Brasil viveu um período de bastante euforia política e econômica. Foi a época do governo Juscelino Kubitschek (1956 a 1961), que empreendeu uma política industrial e desenvolvimentista.
A cultura brasileira acompanhou o ritmo das mudanças: novas idéias surgiram, como a Bossa Nova, o Cinema Novo, o Teatro de Arena entre outros. Mesmo após o golpe militar de 1964 o pais se manteve dinâmico. Surgiu o Teatro Oficina, que encenou O Rei da Vela, de Oswald de Andrade. O Tropicalismo ganhou as rádios e TV.
O concretismo, uma das principais correntes literárias, ocorreu na década de 50 até os dias de hoje, com a liderança de três poetas paulistas: Decio Pignatari e os irmãos Augusto e Haroldo de Campos.

Os recursos da poesia concreta são os mais variados: vão desde experiências sonoras até o emprego de diferentes formas e tamanhos. O poema assume a forma de cartaz, de anuncio, de dobradura, fotografia, colagem. O poeta transforma-se num artista gráfico, num artesão sintonizado com seu tempo.
No Sarau de Setembro mergulharemos nesse universo de formas e idéias, teremos como convidado especial o artista plástico da Comunidade BERBELA, na verdade um poeta, que se apropria da sucata do ferro para compor sua obra.
Ainda teremos mais poesia, música e teatro, como sempre.
Dia/ horário: 24/setembro/2011 – Sábado – A partir das 18 horas
Local: Programa Einstein na Comunidade de Paraisópolis
Endereço: Rua Ernest Renan, 1068 – Paraisópolis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.