Serra acompanha Jornada da Saúde e visita obras de Etec

Governador visita Paraisópolis que recebe serviços de saúde, na Virada Social, e nova Etec

ceu_etecO governador José Serra acompanhou na quarta-feira, 27, as ações da Jornada da Saúde, mais uma das 130 iniciativas da Virada Social em Paraisópolis. O programa oferece diversos serviços à população, como vacinação, exames de pressão arterial, confecção de cartões do SUS, palestras educativas e distribuição de preservativos.

Em sua terceira edição, a Virada Social, uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo coordenado pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Seads), articula secretarias, prefeitura e sociedade civil com o objetivo de reduzir os índices de vulnerabilidade social com a participação da comunidade. Paraisópolis, bairro da zona sul da capital, conta com mais de 80 mil moradores.

Nesta edição da Virada estão previstas cerca de 130 medidas. Entre elas, a presença de uma unidade móvel do Poupatempo, a ampliação dos programas de transferência de renda como o Ação Jovem e o Renda Cidadã, a implantação de um parque público e a instalação do CIC (Centro de Cidadania). As ações do Estado na região começaram em fevereiro deste ano, com o início da Operação Saturação, da Polícia Militar. Um mês depois foi o início da Virada Social.

“A virada social é uma mobilização de forças, ela está expressando mais segurança, mais saúde e mais urbanização”, disse o governador após conferir a construção de uma Etec na região. Na sequência, Serra viu as atividades da Jornada da Saúde e mediu sua pressão arterial.

As atividades da Jornada da Saúde desta quarta-feira ainda incluem vacinação, “escovódromo” para as crianças, confecção de cartões do SUS, coleta de material para exames de Papanicolaou, taxa de glicemia e massa corpórea e distribuição de preservativos. As atividades de orientação serão direcionadas à “Saúde do Adolescente”, com a exibição de filme e palestras. “Deve-se lembrar que todas ações foram implantadas após ouvirmos os anseios da população”, enfatizou o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Rogério Amato.

Poupatempo

Uma unidade móvel do Poupatempo ficou durante duas semanas no bairro, realizando 4,1 mil atendimentos. O posto, vinculado à Secretaria de Gestão Pública, facilita o acesso da população a emissão de documentos como RG, Carteira de Trabalho, Atestado de Antecedentes e mais de dois mil serviços públicos eletrônicos por meio do e-poupatempo.

Foram mais de mil orientações e três mil serviços executados, com destaque para emissão de RG (58% da demanda e 1766 solicitações). Também foram emitidos 501 Atestados de Antecedentes Criminais e 337 Carteiras Profissionais. O e-poupatempo contribuiu com 137 serviços eletrônicos.

A instalação da unidade móvel do Poupatempo já é uma tradição do programa Virada Social. Nas duas primeiras edições, nas regiões da Brasilândia, na zona norte, e São Mateus, na zona leste, os postos móveis realizaram mais de 50 mil atendimentos, sendo que mais de 32 mil desses foram destinados à emissão de carteiras de identidade.

Mais ações

Ensino técnico

Além da Virada Social, o Governo do Estado desenvolve outras ações significativas na região de Paraisópolis. É o caso da preocupação com o ensino técnico. O Estado, por meio do Centro Paula Souza, tem previsto no cronograma de obras a entrega de uma Etec (Escola Técnica) em Paraisópolis.

A nova unidade contará com quadra poliesportiva e anfiteatro e vai funcionar em um terreno do CEU Paraisópolis na rua José Augusto de Souza e Silva. A previsão é de que a unidade seja implantada entre em funcionamento em 2010 ao custo de R$ 13,4 milhões. Inicialmente, o Estado também vai investir nessa escola R$ 500 mil em mobiliários e equipamentos.

A unidade vai oferecer 160 vagas para o ensino médio no período da manhã e mais 400 vagas em quatro cursos técnicos: Contabilidade (80 vagas divididas entre tarde e noite), Informática (80 vagas tarde/noite), Meio Ambiente (120 vagas, sendo 80 à tarde e 40 noite) e Segurança do Trabalho (120 vagas, sendo à 40 tarde/ à 80 noite).

Saneamento

De 2006 até hoje foram assentados em Paraisópolis pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) onze quilômetros de rede de água e seis quilômetros de rede de esgotos, com a execução de 4,5 mil ligações de água e 5,4 mil ligações de esgotos.

Iniciada em maio de 2008, uma nova etapa de obras na região será concluída até agosto de 2010, totalizando investimentos de R$ 130 milhões, sendo R$ 35 milhões só da Sabesp. A previsão é de que até lá sejam assentados mais 54 quilômetros de redes de água, 57 quilômetros de redes de esgotos e sejam instaladas quatro válvulas redutoras de pressão, 1,5 quilômetros de coletores-tronco e construída uma Estação Elevatória de Esgoto no Grotão.

As medidas têm por finalidade universalizar a distribuição de água em Paraisópolis, o que vai ocorrer até o final do ano que vêm. Antes das ações do Governo do Estado, a região tinha cinco mil ligações de água – a Sabesp fará até 2010 mais 12 mil ligações, totalizando 17 mil. Quanto ao esgoto, eram três mil ligações e serão feitas mais nove mil, totalizando 12 mil até 2010.

Vale lembrar que entre 2006 e 2008 foram trocados 2,8 mil hidrômetros, medida que contribuiu de forma significativa para a redução de perda da água na região. A troca resultou num aumento médio no Volume Utilizado (VU) de 110 mil m³ no volume mensal de água. Para se ter idéia, a economia é suficiente para abastecer Aldeia da Serra, com 10 mil moradores, durante o período de dois meses.

Habitação

Na área de habitação, os investimentos do Governo do Estado contemplam a urbanização do Complexo de Paraisópolis, ação integrada dos governos municipal, estadual e federal para melhorar as condições urbanas e socioambientais da região. O programa assegura completa infraestrutura, equipamentos e serviços públicos que integrarão o bairro à malha da cidade.

Somente nessa ação, a Companhia de Desenvolvimento Urbano e Habitacionais (CDHU) é responsável pelo reassentamento de famílias que serão transferidas de áreas de risco e de intervenção urbana. Em abril de 2008, a Companhia entregou 278 apartamentos no Campo Limpo para esse público, cujo investimento foi de R$ 10 milhões. Os imóveis apresentam um novo padrão, inédito na capital. Eles são quase 20 metros quadrados maiores do que os já existentes, além de contarem com novo revestimento de piso e azulejos.

A expectativa é atender mais 1.418 famílias com unidades da CDHU, com investimento de R$ 80 milhões, sendo 40 milhões do governo federal e R$ 40 milhões de contrapartida estadual. Dois empreendimentos já têm obras iniciadas. O Vila Andrade B, com 172 unidades, teve as obras paralisadas por desistência da construtora. A CDHU rescindiu o contrato e a 2ª colocada do processo licitatório está retomando as obras, sendo que a ordem de início de serviços (OIS) foi emitida em 13/05/09. Outro empreendimento é o Vila Andrade C, com 112 unidades, cujas obras encontram-se em andamento (OIS emitida em fev/09). As demais moradias estão em diferentes estágios de viabilização.

SP Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.