Valorização imobiliária em Paraisópolis

Por Vagner de Alencar para o Blog Mural

Uma casa de um cômodo encravada dentro de uma viela no bairro vale, no mínimo, R$ 8.000. O preço muda conforme a localização: casa em rua é muito mais cara.
Seu Manoel, como todos o chamam, 46, há 12 anos trabalha como corretor de imóveis em Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. Na verdade, com uma espécie de intermediador, como se auto-intitula. Durante a meia hora de conversa na lojinha de ervas onde mantém seu negócio, ao menos três pessoas passaram no local pedindo informações sobre imóveis para alugar.

“Toda hora passa gente aqui perguntando. Essa semana vendi duas.” Há muito mais procura do que oferta. Segundo ele, na comunidade, o preço dos aluguéis sempre foi alto.
“Paraisópolis tem a fama de estar no Morumbi. Além do mais, a região está se urbanizando, o que faz as pessoas subirem os preços das casas”, afirma.
Seu Manoel mostra o documento simples da recém compra de um imóvel por um morador. A propriedade de dois cômodos, praticamente escondida num beco, está sendo demolida para reforma; custou ao novo dono a bagatela de R$ 22.500.
Edjalma dos Santos, 28, mudou-se para Paraisópolis há oito anos. A casa de um cômodo e um banheiro que comprou na época por R$ 4 mil, ele estima que esteja hoje valendo mais de R$10 mil. “Não vendo minha casa por nada. Nem se me oferecerem o dinheiro à vista. Todo final de mês o dinheiro do aluguel [R$250] cai na minha conta”, afirma.
O preço imobiliário de Paraisópolis é um dos mais altos, se comparado a outras regiões periféricas de São Paulo. Na rua Ricardo Avenarius, a placa de venda indica R$ 70 mil como o valor da casa.
Com a crescente procura e valorização imobiliária, Edjalma, assim como centenas de moradores da comunidade parecem seguir uma teoria comum: “Se eu pudesse, compraria outra casa para alugar. O aluguel só tem subido de preço. E, claro, é um excelente negócio para nós.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.