Paraisópolis terá passeio turístico para a Copa 2014

Do Terra Magazine

Mariana Desidério
Especial para Terra Magazine

Quem pretende vir ao Brasil para a Copa do Mundo já tem um novo ponto turístico para visitar entre um jogo e outro. A União de Moradores de Paraisópolis, uma das favelas mais famosas de São Paulo, está preparando um tour para quem quiser conhecer a vida na comunidade e seus artistas anônimos.
“Nós achamos que vai ter, sim, jogo no Morumbi e, mesmo se não tiver, as pessoas virão para São Paulo do mesmo jeito e vão querer conhecer Paraisópolis”, diz o presidente da associação, Gilson Rodrigues.
O tour pela favela inclui visitar artistas locais como o Gaudí e seu castelo – morador que ergueu uma casa parecida com a obra do arquiteto catalão Antoni Gaudí, em Barcelona -, conhecer o trabalho das ONG’s que atuam ali e almoçar em um boteco. O nome do passeio será “Uma visita ao paraíso”.
Os moradores planejam ainda a criação da marca Paraisópolis. “Teremos itens para vender, como copos e cadernos. Assim, a pessoa que vem aqui pode adquirir os produtos e contribuir com a comunidade. Não vamos cobrar pelo passeio”, adianta Rodrigues.
Do Morumbi para a favela
Apesar de os planos maiores visarem a Copa, Rodrigues conta que Paraisópolis já é bastante procurada, principalmente após o início da urbanização da favela. Segundo ele, metade dos visitantes são moradores do Morumbi que querem conhecer por dentro a comunidade que veem pela janela. Em geral, são pessoas ricas. “Mostramos o convívio da comunidade, nosso jornal, levamos para falar com um morador mais velho. A pessoa vive a comunidade durante um dia”, afirma.
Pelas suas contas, com o início da urbanização (há cerca de um ano e meio), as visitas aumentaram cerca de 200%. Entretanto, ele lembra que a relação com o bairro em frente não foi sempre assim.
“No passado o Morumbi tinha o sonho de remover Paraisópolis, as associações de lá apontavam para o governo a necessidade de remoção das pessoas daqui. Hoje eles não nos veem mais como inimigos porque, afinal, as babás de lá são as nossas meninas, os porteiros são os nossos meninos, os motoristas, os seguranças são as pessoas aqui de Paraisópolis”, explica.
“Zoológico”
Para a União do Moradores de Paraisópolis, os passeios à comunidade só devem ser guiados por quem é de lá. “Não vemos com bons olhos essa história de agências, ou pessoas de fora da comunidade que não conheçam nossa realidade, trazerem pessoas para cá. Não somos bichos e aqui não é um zoológico”, afirma Gilson.
A agência de turismo Check Point afirmou que faz passeios a Paraisópolis e outros pontos pobres de São Paulo, como Heliópolis e Cracolândia. De acordo com o diretor da empresa, Luciano de Abreu, o tour custa 90 reais por pessoa. “A ideia é mostrar que existem pessoas boas nestes lugares”, afirma. O presidente da associação de Paraisópolis diz que não conhece a agência.

Joildo Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.